Novo Ensino Médio cria oportunidades em Manaus

Publicado em: 01 Mar 2022
Novo Ensino Médio cria oportunidades em Manaus

No quarto ano de implementação do Novo Ensino Médio, 56 alunos do SESI e do SENAI do Amazonas receberão, em dezembro, a dupla certificação – comprovando finalização do Ensino Regular com formação técnica e profissional em Eletrotécnica. O modelo é pioneiro no Estado e já abre oportunidades para os estudantes.

A introdução ao mercado de trabalho começa na linguagem de programação, inclusa nos estudos de robótica desde o Ensino Fundamental. “Quando você aprende a aprender, tudo fica mais fácil. Se alguém lançar um desafio para mim, eu consigo, não só me adaptar para aquele desafio, mas aprender com os erros. Em relação ao mercado de trabalho. Aqui dentro, a gente utiliza muito a linguagem Java. Tem uma boa correlação com os princípios que a gente utiliza lá fora”, explica o estudante Nelson Keije, 17 anos, um dos formandos do Novo Ensino Médio da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa.

Keije também receberá a certificação profissionalizante, que já o gabarita para ocupar vagas até internacionalmente. “Estou em três projetos: um deles é um aplicativo de compras em que a central fica na Bahia e eu ajudo no suporte e manutenção do sistema. O outro utiliza análise de dados de lojistas de moda. Ou seja, venda e compra de roupas que utilizam inteligência artificial para melhorar a venda, controlar o estoque de roupas. No (projeto) mais recente, a central fica na Alemanha. Faço a manutenção de website de uma empresa que utiliza análise de dados para detecção de vírus em arquivos”, contou. 

Na mesma classe está Vitor Gabriel Simões, 18 anos, também já empregado. “Não demorei muito a entrar no mercado de trabalho. O que me fez diferente foi o curso de eletrotécnica, porque na empresa eu vou seguir nessa área, na parte de manutenção até chegar à linha de produção. Esse curso me ajudou muito a me desenvolver como pessoa e como profissional. Me ensinou desde fazer um currículo até a desenvolver habilidades que um profissional precisa”, avaliou Simões.

Para Vitor Gabriel, a integração com o SENAI é benéfica tanto para os alunos do Ensino Médio quanto para os mais avançados do Ensino Profissionalizante. “A gente troca ideias para saber o que eles estão fazendo. Eles tiram nossas dúvidas e nós também ajudamos nas dificuldades que eles têm. Trocamos até materiais para fazer projetos”, contou o estudante.

A superintendente do SESI no Estado, Rosana Vasconcelos, informou que a integração foi um processo conduzido em parceria entre os profissionais das duas Entidades. “Houve várias reuniões entre pedagogos e professores do SENAI e do SESI para que a integração fosse real”, disse. 

A construção pedagógica conjunta também possibilitou a adaptação da metodologia para atender ao primeiro aluno com Síndrome de Down no Novo Ensino Médio.  João Vitor Batista, 20 anos, está entre os formandos que receberão o diploma de eletromecânica pelo SENAI.

“Em muitos assuntos, o João acompanha no mesmo nível. Alguns temas precisam ser adaptados e os professores, por conhecerem a necessidade, fazem os ajustes necessários para o nível de entendimento dele. Porém, ele acompanha o mesmo currículo, atividades e livros igual a todos os alunos”, disse a pedagoga do Novo Ensino Médio do SESI, Genilda Tinoco.

Para o futuro, Batista planeja ingressar no curso de Panificação também no Senai. 

Leia aqui matéria completa sobre a relação de João Bastita com o SESI Amazonas. 


Nós respeitamos sua privacidade. Utilizamos cookies para coletar estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação. Saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi e Fechar