Robótica: alunos do SESI apresentam soluções de transporte e logística em torneio

Publicado em: 28 Mai 2022
Robótica: alunos do SESI apresentam soluções de transporte e logística em torneio

Após dois anos de distanciamento social causado pela pandemia do coronavírus, o SESI Nacional voltou a reunir crianças e adolescentes de todo o país para disputar prêmios de melhores soluções para problemas reais do Brasil. O Tornei SESI de Robótica ocorreu entre os dias 27 e 29 de maio, em São Paulo, com o tema “Cargo Conect”. Equipe do Conselho Nacional do SESI acompanhou, de perto, a programação do evento.

Ao todo, foram mais de 1200 crianças envolvidas em projetos destinados a melhorar a logística de transporte, embalagem e entrega de produtos pelo país. Das 67 equipes formadas, 40 foram selecionadas para a etapa final, que reuniu mais de 170 competidores de 22 estados. O Torneio foi aberto a escolas públicas e privadas.    

As disputas ocorreram em três categorias: First Lego Challenge, em que os alunos constroem robôs de lego para resolverem atividades de transporte e logística, seguindo a temática do ano; First Tech Challenge, cujo objetivo é usar linguagem de programação baseada em Java e Blocks para conduzir máquinas em circuitos de carga; e F1 in Schools, na qual os estudantes criam empresas para competir em uma pista de corrida em miniatura, atingindo até 80 km/h.  

O evento reuniu mais de 13 mil pessoas, com quase 50 mil visualizações no canal Sou Robótica no YouTube. A abertura foi em clima de festa, com a apresentação da jornalista Glenda kozlowski e show da banda Nexa.

“Acreditar na educação é acreditar no país. Melhor se for assim, com a robótica, que a gente pensa que está brincando, mas está aprendendo.  São muitos aprendizados na vida de vocês. Tenho certeza de que muitas vidas estão se transformando por meio da robótica”, disse a jornalista.

Uma das pessoas impactadas foi o ex-aluno SESI Geovani Santos. “Participar do tornei de robótica é sempre oportunidade única. Para mim, foi um crescimento pessoal e profissional. Trouxe conhecimento único. Nunca mais quero sair desse torneio”, afirmou o Santos, que neste ano atuou como juiz das competições.  “O maior desafio que a gente teve foi com o segundo idioma. A gente precisa estudar documentos, manuais da competição. O mundo é globalizado e a gente teve que estudar inglês para participar da competição.”

Neste ano, a novidade foi a presença majoritária de competidores do sexo feminino. Cerca de 53% das finalistas são mulheres. Entre elas, Emanuele Santos, da equipe de First Tech Challenge do Goiás.

“A First proporciona grandes experiências. A visão sobre o mercado de trabalho e sobre a vida mesmo é muito mais ampla. A gente trabalha conversando com profissionais e com empresas. A gente vê que é possível e que qualquer um consegue”, declarou a estudante.

Além da oportunidade de desenvolver habilidades técnicas, o competidor Luca Carvalho destaca o clima do evento como fator de benefício pessoal que fica para a vida. “Você não imagina as oportunidades que chegam quando você entra. É muita informação, mas, quando você vai organizando, vai vendo que aqui é sua casa. A interação entre todo mundo nesse torneio é incrível. Os valores que aprendemos aqui mostram que a gente tem que competir levando o melhor da competição. Todo mundo está junto, como família. Quando você vai para o mercado, consegue ver todo mundo como equipe. Quem entra sem saber de nada, sai capacitado para tudo o que quiser fazer”, incentivou o aluno do SESI do Rio Grande do Sul.

Os estados que mais se destacaram foram Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Conheça a lista dos vencedores.

Nós respeitamos sua privacidade. Utilizamos cookies para coletar estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação. Saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi e Fechar